OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

IMPORTANTE: Este blogue não tem a pretensão de ser um site científico e nem de ser uma fonte para estudos. Apenas lançamos as questões e estimulamos o debate e a análise, servindo apenas para ponto de partida para estudos mais detalhados. Para quem quiser se aprofundar mais, recomendamos a literatura detalhada das obras de Allan Kardec - principalmente "O que é o Espiritismo" e visitar fóruns especializados, que não façam parte da Federação "Espírita" Brasileira.

Os textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e correspondem ao ponto de vista pessoal de seus responsáveis, sejam ou não resultado de estudos.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Guerra perdida

É com pesar e tristeza que começo a última postagem deste blogue. Decidi encerrar a produção de postagens. E porquê? Simples: pela força imensa e indestrutível da versão deturpada do Espiritismo. Médiuns, apesar do charlatanismo e das informações equivocadas que insistem em difundir, sem a mínima iniciativa de correção, estão com o seu prestígio inabalado e cada vez mais consagrado. 

É triste saber que a doutrina de Kardec tem sido esquecida no Brasil. O professor de Lion se limita a mero nome a dar autenticidade a um festival de enxertos que tem a pretensão burra e arrogante de ser futuramente "a religião de todo mundo", coisa que nem passou pela cabeça do codificador. Até porque Kardec queria mesmo é criar uma ciência que estudasse a não-matéria e não uma igreja a mais para enganar incautos.

A FEB, Federação "Espírita" Brasileira, que de "espírita"  só tem o nome, tem colocado muita sujeira dentro da doutrina e graças a seu empenho, fez um grande estrago para a evolução da humanidade, travando o avanço intelectual e estimulando uma moral inerte que em 130 anos nada fez para melhorar o Brasil.

Apesar das críticas cada vez mais frequentes nas redes sociais e em blogues, o Espiritismo-pirata da FEB, que não passa de um Catolicismo enrustido que acredita em reencarnação, tem lançado meios de se fortalecer, pois, do contrário que todo mundo pensa, ela ganha muito dinheiro e poder com as suas iniciativas. Se doam alguma coisa para a caridade, é muito pouco e o resultado provou ser totalmente ineficaz para a melhoria da sociedade como um todo.

E o que garante a manutenção e o fortalecimento da versão deturpada do Espiritismo, além do alto prestígio dado a médiuns (que deveriam se limitar a meros porta-vozes de espíritos), é a imensa massa de "cães de guarda" que confiam num moralismo tosco e ineficaz, acreditando que a fé cega e a bajulação a ídolos (leia-se "louvor") é que irá alavancar o mundo para a evolução, desprezando totalmente o desenvolvimento intelectual.

E o que é grave: não é somente os encarnados que são prejudicados com essa deturpação. Espíritos sérios, admitindo a falta de afinidade ideológica com esse "Espiritismo" festivo, se afastam, sendo substituídos por espíritos brincalhões ou espíritos forasteiros de outras crenças, sobretudo de padres e madres mortos que encontraram nesse falso Espiritismo uma nova forma de fazer Catolicismo. 

Pesquisas sobre comunicação com outras dimensões da não-matéria são prejudicadas, pois o foco é totalmente direcionado para a criação de uma Igreja "Espírita" (igreja propositadamente sem aspas) e uma moralidade frouxa que dita costumes, mas não melhora o intelecto e nem traz qualidade de vida a ninguém, se limitando a falácia de aceitar problemas como se fossem "bênçãos". Isso tudo num linguajar típico das igrejas mais retrógradas.

Estou triste. Mataram literalmente Allan Kardec. Mesmo que ele esteja vivo em espírito - com muita certeza bem longe do Planeta Terra, embora vários lunáticos afirmem que ele reencarnou no Brasil - ele não interessa aos brasileiros, exceto para servir de "cartório" para que esta gororoba igrejista seja legitimada. Kardec, como dizem seus verdadeiros admiradores, é o Grande Desconhecido dos brasileiros, que conhecem ele "de ouvir falar" preferindo seguir as lições de um monte de picaretas que não entenderam nada mas, posando de "Sábios Consagrados" vivem a espalhar erros e mentiras, solidificando um grave erro que dura mais de 130 anos e não tem hora para acabar.

Encerro aqui este blogue, que ficará no ar para lançar questões e estimular estudos e debates. Obrigado a todos que visitam e participam e lutem firme e com insistência para que o verdadeiro Espiritismo possa um dia ser compreendido e assimilado. Não como uma seita ou igreja, mas como uma forma de interagirmos com a dimensão não-material de forma responsável e honesta.

Valeu amigos. Sei que fecho aqui com gostinho de guerra perdida. Hasteio aqui a minha bandeira branca, esperando que outra tropa tome a iniciativa de continuar a luta em defesa do verdadeiro Espiritismo. Pois esta tropa aqui, cansou de lutar.

domingo, 30 de novembro de 2014

Provas de que as "aparições" de Bezerra são uma farsa

Bezerra de Menezes (a.k.a. Bezerra de Ouro), ex-presidente da FEB e político brasileiro, é um dos maiores mitos do pseudo-espiritismo brasileiro. Tido como "de evolução máxima", na verdade teve vários fatores que fazem que essa mitologia em torno dele seja de fato uma farsa.

Para começar, Menezes, tido como "herói", nas discussões do início da implantação do Espiritismo brasileiro, na verdade era o vilão, quando entrou em atrito com Angeli Torterolli, este defendendo a fidelidade aos pontos originais da doutrina (que deveria ser louvado como herói de  fato do Espiritismo). 

Bezerra preferiu a deturpação e a assimulação das ideias de um farsante, Jean Baptiste Roustaing, este interessado em misturar Catolicismo com reencarnação. Menezes chagou a classificar Kardec como "antiquado" e Roustaing como "avançado", na época. Uma mensagem falsamente atribuída a Menezes, décadas depois, tentava consertar o estrago, que já estava feito e solidificado.

Informações seguras, ditas por descendentes de quem conviveu com o superestimado primeiro astro da FEB, Menezes não era uma boa pessoa. Fazia caridade em troca de votos e tinha um temperamento difícil, tendo um comportamento "pavio curto". 

Mas, ao morrer, a FEB achou por bem canonizá-lo - sim, o pseudo-espiritismo brasileiro, totalmente catolizado, canoniza! - e criou uma biografia falsa para que Menezes fosse tratado como "alma pura". Até a participação insignificante na abolição da escravatura - ele era só um pouquinho mais do que simpatizante pela causa, que tinha muito mais motivos tecnológicos do que humanitários - foi superestimada, para que Menezes fosse visto como "grande humanista".

E esse mito falso do bom velhinho foi se consagrando. Com a morte dele, ninguém mais o conheceu, o que facilitou muito para que a FEB conseguisse consagrar o mito. Afinal quem hoje tem condições de identificar alguém, falecido em 1900, que nunca teve registro de fala ou imagem em movimento, de atitude cotidiana totalmente desconhecida? Legal para a FEB criar dois Bezerras: o real, que ninguém conhece e o imaginário, que todos veneram.

Fatores que levam a crer que aparições são uma farsa

Apesar de muitos espíritas começarem a questionar os mitos da FEB, eles preferem fazer com cuidado. Não se sabe se é por medo, mas há um excessivo respeito pelos mitos da FEB e os questionadores preferem analisá-los como quem tenta extrair mel de uma colmeia lotada.

Mesmo assim, há quem não tenha medo e questione. O medo estraga tudo e o excesso de respeito poderá favorecer a impunidade a farsantes que se aproveitam da fé alheia para se promoverem e lucrarem com isso.

Médiuns tem feito verdadeiros espetáculos de "aparições" atribuídas a Bezerra de Menezes. Nelas, o "bom velhinho" parece com uma rouca voz quase inaudível, andando com dificuldade e curvilíneo, algo que é incompatível com alguém de "evolução máxima", já desprendido totalmente da matéria.

Ah, mas justificam eles que "Bezerra" tem que vir assim para ser identificável. Como, se 99% das pessoa nasceram após a morte dele e não se tem registros de como ele se movia e falava?

Se não bastasse isso, se houvesse justiça divina, alguém que morreu em 1900, com a personalidade falha como a que tinha de fato Menezes, já teria se reencarnado há muito tempo, o que incapacitaria as aparições atribuídas a Bezerra. Ou ele era tão poderoso - e privilegiado - assim que poderia se transportar mesmo encarnado?

Das duas uma: ou os médiuns estão sendo enganados por espíritos que fingem ser o Bezerra ou os médiuns são os próprios enganadores, usando esse showzinho para atrair fiéis para aquilo que se transformou e se consagrou como uma "igreja espírita".

Outro fator é que não há espíritos de "evolução máxima" no Planeta Terra, ainda de provas e expiação (regeneração, né, FEB? Por tua causa, adiamos a mudança de estágio. Agora, fica para a próxima, he, he!). Se nem Jesus tinha "evolução máxima" (Kardec fala em "mais evoluído que esteve na terra e não "de evolução máxima"), que dirá o "pavio curto" Bezerra. Com muita certeza, sem hesitação, confirmo que ele deve estar reencarnado, para aprender a não enganar os outros.

Aprendamos a usar a lógica para não nos enganar. Senão  continuaremos nessa escravidão enrustida chamada "religiosidade" que nos faz acreditar em tudo e  em todos. Principalmente naqueles que se aproveitam de nossa credulidade para se beneficiar disso.

sábado, 22 de novembro de 2014

O excessivo cuidado em provar que espiritólicos estejam errados

O medo é uma coisa que estraga tudo. Ele impede muitas atitudes que deveriam ser feitas, acreditando sofrer punições severas e/ou romper códigos de ética. Curiosamente as pessoas mais medrosas costumam ser as mais conservadoras, preferindo deixar as coisas como estão, presos em uma Zona de Conforto.

Religiões e lideranças tiranas sempre lançaram mão do medo como forma de domínio. Qualquer líder sabe que medrosos são os melhores escravos, pois farão tudo para evitar danos maiores. E possivelmente o medo pode estar fazendo a cabeça de espíritas. Sim, espíritas, sem aspas, não me referindo aos Pseudo-espíritas, seguidores de Bezerra-Chico-Divaldo. Estes, já são tradicionalmente medrosos.

Os críticos da FEB, dispostos a retomar as bases do Espiritismo original de Kardec, não aceitam qualquer crítica feita aos procedimentos cometidos pelos ídolos criados pela FEB. Mesmo sabendo que a FEB e seus mitos erram, preferem manter um estranho respeito quase divinal pelos "mestres" do Pseudo-espiritismo. Um respeito estranhamente exagerado.

Não se vê uma cobrança de rigor na hora de provar algo como se vê nas fraudes cometidas pelos Pseudo-espíritas. Mesmo claramente fraudulentos, com detalhes a olhos vistos que provam sem muito raciocínio serem realmente fraudes, muita gente ainda prefere exigir mais provas, e cada vez mais detalhadas e rigorosas. 

Agem igualmente aos juízes quando julgam alguém que esteja em posição de prestígio: mesmo com o crime claramente praticado, com autoria inquestionável confirmada pelos fatos, a justiça prefere investigar o que não precisaria ser investigado, por estar explicitamente comprovado pelos fatos e circunstâncias, para que a condenação possa ser feita, creio eu, através de um documento comprobatório. Os espíritas fazem o mesmo, exigindo provas "mais científicas", mesmo diante da obviedade das fraudes.

E para piorar, eles não se referem apenas a pessoas simplesmente prestigiadas ou de cargos de liderança. Se referem a personalidades que são consideradas como divindades, o que agrava ainda mais a exigência de provas na acusação. Mesmo negando a classificação de "divindades", os espíritas sérios, ao pedirem respeito e um pouco de "dúvida" para fraudes evidentes, acabam dando o tratamento divinal aos fraudadores, como se eles fossem incapazes de cometer as fraudes claramente vistas.

E é aí que está o medo. Mesmo criticando as deturpações cometidas, preferem os espíritas estabelecer uma dúvida quando as denuncias começam a ficar mais sérias, como se fosse um desrespeito ao prestígio dos nomes do Pseudo-espiritismo, que para muitos, são representantes diretos de Deus, amigos íntimos da suposta divindade maior que criou o universo.

Precisamos perder o medo e criticarmos de forma coerente, mesmo que não seja cientificamente. Deixemos as provas mais científicas quando as discussões estiverem mais avançadas. É importante que possamos lançar pontos de partida para discussões que possam ser aprofundadas com o tempo. 

Pois se esperarmos já no começo, uma profundidade maior, estaremos dando tempo para que os fraudadores enganem cada vez mais, aumentando o seu prestígio e por consequência, a sua impunidade, mantendo o Espiritismo nessa farsa de mais de 100 anos, travando a evolução espiritual da coletividade.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A FEB poderia forjar a "reencarnação" de Emmanuel

Adicionar legenda
Para que o dinheiro ganho com as obras escritas em nome de Emmanuel não fossem para outras fontes senão os cofres da FEB, criou-se uma tese de que o citado espírito, equivocadamente considerado de "evolução máxima" iria reencarnar no começo dos anos 2000, em São Paulo. Segundo essa tese, "Emmanuel" estaria entrando na adolescência agora.

A tese acrescentaria que o tal espírito voltaria como missionário no setor de Educação, com o "propósito de educar a humanidade brasileira a liderar o mundo", já que para os ingênuos seguidores do ingênuo Chico Xavier, o Brasil será potência mundial. As autoridades da China deve estar caindo na gargalhada.

Mesmo que a igreja "espírita" tenha uma multidão de ingênuos como seguidores, verdadeiros beatos com alto nível de credulidade, creio que a FEB tenha condições de forjar a "reencarnação" de Emmanuel, escolhendo um garoto com características adequadas ao mito do espírito e "educando" através de um complexo método cheio de processos para ser o "Emmanuel" reencarnado. Como é feito pelos budistas ao escolherem os jovens que supostamente são a "reencarnação" de Buda.

Um jovem que pudesse ter QI alto e alguns poderes sobrenaturais teria condições de ser o escolhido. Claro que o tal jovem teria que abrir mão de sua privacidade, além de aguentar toda a reverência fanática, já que na prática, seria visto como um "santo vivo" pelos beatos "espíritas".

O tal jovem teria que fazer palestras e dar a impressão de alta sapiência. Para isso, o processo de "educação" deveria usar técnicas de manipulação mental para fazer com que o próprio jovem acredite ser a reencarnação de Emmanuel, confiando cegamente em seus tutores que colocarão um festival de sugestões para que o tal jovem assimilasse em sua personalidade características inerentes ao mito do espírito do jesuíta.

Assim, a FEB iria lançar mão de um excelente meio de publicidade que, pelo menos para os incaultos, iria provar a "veracidade" daquilo que os brasileiros conhecem como "Espiritismo", tão cheio de fraudes e tão distante das propostas originais do hiper bajulado Allan Kardec.

Se bem que a "apresentação" desse forjado "Emmanuel" seria mais uma de suas fraudes a desmoralizar a FEB, instituição que deceiu errar desde o começo, atraindo toda a negatividade que faz a evolução espiritual dos brasileiros travar.

domingo, 16 de novembro de 2014

A imunidade/impunidade de Chico Xavier

Nossa sociedade, incapaz de resolver as coisas por conta própria, é tão carente de boas lideranças que o primeiro que corresponda a imagem estereotipada de bondade é logo tomado como líder, endeusado e blindado de qualquer tipo de crítica ou condenação. Não é exagero dizer que, se para os muçulmanos, Deus é Alá, para certos crentes é Jeová, para espiritólicos e alguns espíritas, Deus é Chico Xavier.

Nunca houve para qualquer outra divindade um cuidado tão excessivo como o que há para o médium mineiro. Exemplo estereotipado de bondade, Xavier tem privilégios que nenhuma outra divindade possui. Inclusive o de nunca responder por suas faltas. Trocando em miúdos, o que conhecemos em outros meios como impunidade.

Xavier foi o único ser humano (ou divindade, como queiram), a ser completamente isento de qualquer culpa pelos muitos erros que cometeu. E mais: se por um lado, Xavier não pode ser condenado e nem criticado pelos erros reais que cometeu, ele pode (e deve) obter os créditos pelos acertos que NÃO cometeu. Foi isso mesmo que você leu.

Totalmente divinizado graças a uma caridade frouxa e paliativa e às mensagens banais de auto-ajuda tratadas como "lições de vida", o médium mineiro, anos após sua morte ainda continua influente e totalmente divinizado, como exemplo máximo de bondade e de sabedoria (??!!), mesmo com livros cheios de erros. Mas o que importa é a fé, não é? Se uma divindade comete erros, não são erros, são "acertos". Esse é o perigo de divinizar pessoas.

Xavier foi um erro que se consagrou. Deixaram a erva daninha crescer, se alimentar e se reproduzir. O endeusado e hiperestimado Xavier foi de fato um misto de tábua Ouija com aguinha com açúcar, mas graças a carência humana e a confiança cega em líderes religiosos, tidos como "altamente virtuosos" (sic), foi promovido a tudo que se conhece de bom: filantropo, filósofo, profeta, líder e até divindade.

Lendas e mais lendas foram escritas para transformar Xavier em um predestinado. Até mesmo superpoderes surreais lhe foram embutidos para que pudesse ser considerado sobre-humano. Sonhos inócuos, como os que qualquer mortal sonha, são transformados em profecias, quando são atribuídos a Xavier. Xavier tem poderes, superpoderes e tem o exclusivo direito de não assumir os erros que cometeu, normalmente entregues a terceiros. Xavier errou? Outra pessoa que responda pelo erro.

Infelizmente quando seu nome é citado, vem os seus cães de guarda, ferozes a defender o "pobre" médium. Fale apenas bem de Xavier, e em caso contrário, ouvirá o rosnar de seus admiradores, como a defender a própria mãe que os pariu. Chico Xavier é tão privilegiado que não somente ele foi informalmente canonizado, como seu nome, apenas seu nome também o foi. O próprio nome do médium tem que ser pronunciado com cuidado, sob o risco de sacudir um fanático e violento vespeiro.

É muito triste saber isso. Tenho a absoluta certeza que a blindagem dada a "divindade" de Chico Xavier é um dos fatores responsáveis pelo atraso espiritual do Brasil. Ainda mais em uma sociedade acaba de aplaudir a embriaguez de uma atriz (que curiosamente interpretou a mãe do divinal Xavier - Nossa Senhora? - em um filme biográfico do médium-estrela), como se a embriaguez fosse sinal de humildade. 

Ainda estramos bem primitivos. E não serão frases de conselhos óbvios e banais do divinizado médium que ajudarão a humanidade a se melhorar. As frases e livros de Xavier não passam de pura literatura de auto-ajuda criada apenas para entreter e fazer os leitores a fingirem que estão se evoluindo espiritualmente, sem mexer um só pé para sair da Zona de Conforto.

A evolução da humanidade brasileira foi adiada para milênios mais tarde. Infelizmente.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Espíritas de direita: uma contradição

Sabemos aqui, neste blogue, que o Espiritismo praticado no Brasil é altamente deturpado. Mas o que não se sabe é que até entre os combatentes das deturpações praticadas pela FEB e suas dissidências também deturparam a doutrina, de forma totalmente diferente dos devotos da tríade Bezerra-Chico-Divaldo. São os espíritas de direita, que defendem o Capitalismo.

Esses espíritas, apesar de lutarem a favor da compreensão do Espiritismo original, peca por defender, em assuntos políticos, o Capitalismo e os ideais de direita. Para justificar suas escolhas se prendem na - má - interpretação de um capítulo do Evangelho Segundo o Espiritismo, denominado Desigualdade das Riquezas.

Acreditam os espíritas de direita que Kardec estava defendendo o Capitalismo quando escreveu o tal capítulo, dando a entender que a desigualdade era necessária para a evolução dos seres humanos, estimulando os mais pobres a desenvolverem suas aptidões na tentativa de aumentar sua renda.

Mas reparem em um detalhe. Os espíritas capitalistas se igualam aos espiritólicos ao classificar o sofrimento (no caso, a pobreza) em si como alavanca da evolução espiritual. Tanto espíritas de direita quanto espiritólicos se esquecem que não é a dor que faz a evolução e sim a tentativa de sair dessa dor. Ou seja, a desigualdade das riquezas é um problema e sair de seus malefícios é que ajuda na evolução.

Sabemos que todas as invenções surgiram da tentativa de eliminar o sofrimento. Isso não significa que o sofrimento seja bom. pelo contrário, se há a necessidade de sair dele é porque o sofrimento não é uma coisa boa. Portanto, a má distribuição de renda, considerada justa e positiva pelos ideólogos de direita é um malefício, que tende a desaparecer a medida que a sociedade vai evoluindo. É espíritas de direita, lhes anunciou uma novidade: O Capitalismo é coisa de sociedades ATRASADAS. 

Kardec mesmo deu a entender que segue mais ideias de esquerda. Até porque não há  como falar de caridade com má distribuição de renda. Não dá para falar em caridade se o bem estar e a felicidade são guardadas para uma minoria de sortudos. Capitalismo sempre foi o oposto de caridade e se vocês acham que as migalhas que os ricos dão aos pobres e esse assistencialismo tolo que vemos na TV com crianças dançando ou jogando bola, são caridade, sinceramente muita gente não tem noção do que é bem estar coletivo.

Houve até um livro escrito por Leon Denis (que deturpou muito os propósitos da doutrina, mas cometeu alguns acertos), Espiritismo e Socialismo, que mesmo imperfeito, pelo menos teve a iniciativa de provar a coerência entre as duas filosofias, coerência negada pelos espíritas de direita, muito mais interessados a defender o bem estar de uma única classe.

Sinceramente, o Espiritismo de direita é uma contradição. Se fora da caridade não há salvação, então porque apenas uma classe social, a dos ricos, merece ser "salva"? Pensar assim não é Espiritismo, e sim Calvinismo e aconselho esses direitistas a correrem para a igreja calvinista mais próxima de cada uma de suas mansões. Aí encontraram o "conforto" necessário que os mantém longe das classes sociais menos abastadas.

O bem estar deve ser pleno a todos. Senão, não existe caridade.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Ninguém pode servir a dois senhores

Mesmo com os alertas que aumentam a cada dia da internet, as pessoas que se assumem como "espíritas", legítimas ou não, ainda insistem em manter nos pedestais mais altos o médium Chico Xavier, esse intruso católico que transformou o Espiritismo brasileiro numa verdadeira bagunça.

Transformada em uma mera religião como todas as outras, o Espiritismo, negligenciando a razão e priorizando a fé cega, permitiu que contradições e absurdos fossem lançados para que o ingênuo médium fosse colocado como "líder máximo" da doutrina no Brasil.

É como entregar a condução de um gigantesco caminhão, descendo uma ladeira a um cego. Xavier não entendia nada de Espiritismo e o que ele fazia era tão irresponsável quanto uma tábula Ouija ou qualquer brincadeira de copo. 

Contradições autorizadas, Xavier foi transformado em mestre maior, em "exemplo máximo" da virtude humana. Cismaram em elegê-lo como, além de "líder máximo" da doutrina, filósofo, cientista, conselheiro, profeta e até mesmo semi-deus. Pra não dizer que Xavier seria o "próprio Deus" encarnado, observando o excessivo respeito com que o médium é tratado, revoltando seus seguidores a cada crítica (justa) recebida.

Muitos preferem se rotular de "kardecistas" sem pegar um único livro de Kardec, preferindo as mensagens piegas atribuídas ao médium, iguais aos que encontramos em qualquer livro de ajuda escrito por algum esotérico. Graças a essas frases que mexem com nossos instintos, mas travam a razão, o pobre médium foi alçado a condutor-máximo da humanidade e infelizmente, seus delírios oníricos estão sendo tratados como "profecia". A humanidade terá que se render a um tolo se "quiser se salvar dos cataclismos planetários", o que só poderá piorar as coisas.

Mas como ficar com Xavier sendo kardecista. As previsões de Xavier contradizem claramente o que está na Gênese da Kardec, com informações seguras trazidas por espíritos sérios. Xavier teve apenas um sonho, como o que temos todas as noites e a FEB decidiu transformar em profecia para tentar legitimá-lo como mestre-maior da humanidade.

E o pior que muita gente, muita gente mesmo, sem lógica, com preguiça de pensar e totalmente hipnotizada pelo carisma piegas do tolo médium, ainda acredita que Xavier e Kardec eram a mesma pessoa. É o mesmo que dizer que o palhaço Bozo é a reencarnação de Mahatma Gandhi. Nada a ver.

Até porque Xavier e Kardec vivem se contradizendo o tempo todo. Se fossem vivos na mesma época, seriam inimigos (não odiosos, ódio não fazia parte da personalidade de nenhum dos dois, mas algozes, sim, com insistentes críticas recíprocas). Kardec seria o "intelectual falido" citado por Xavier no Pinga Fogo? Claro que não! Kardec não deu sinais de falência intelectual! Se Xavier estivesse certo seria a reencarnação de Roustaing e não de Kardec!

Por serem tao contraditórios e de metodologias bem diversas, não dá para ficar com os dois ao mesmo tempo. Os chiquistas, mesmo se auto-rotulando de "kardecistas" (fazem isso mais por convenção do que por convicção), já escolheram seu mestre, descartando totalmente Kardec, lembrado apenas na hora de autenticar as bobagens criadas pela mente do "adorado" Xavier, como se o professor lionês não passasse de um funcionário de cartório.

Os verdadeiros kardecistas que descartem totalmente Xavier. Xavier é como um câncer, cuja eliminação tem que ser total. Deixar um tiquinho de Xavier na Doutrina Espírita é cortar o mal pelo caule, deixando uma raiz de pieguice irresponsável e tola sempre atuante para que na pior das horas possa voltar, causando estragos na compreensão do mundo em que vivemos.

E nessas épocas onde Xavier é tratado como profeta, o estrago pode ser ainda maior, com multidões de desesperados a se preocupar com coisa nenhuma, naquele desespero tipicamente narcótico que vemos nos lugares de tratamento para drogados.

Não obedeçamos a dois senhores tão contradizentes. Não dá para ficar com ambos: ou escolhemos o racional e sensato Allan Kardec ou fiquemos com a pieguice delirante de Chico Xavier. 

Como disseram sabiamente um dia: ninguém pode servir a dois senhores. Vocês é que escolhem.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

"Reencarnação" de Emmanuel é farsa para que não se utilize o nome do espírito em novas obras

Os pseudo-espíritas festejaram quando a FEB deu a "notícia" de que Emmanuel havia se reencarnado como um "missionário" com a função de "educar a humanidade. Era como se a profecia de Jesus de retorno pudesse ser cumprida por outro espírito, supostamente de sua falange. A suposta reencarnação se daria no interior paulista, a partir do início doa anos 2000. Lindo, mas parece conto de fada.

Até agora nada foi provado e ninguém se apresentou para confirmar tal notícia. Nenhuma família se apresentou como "gestora" de "tão nobre" entidade. Críticos da farsa pseudo-espírita já perceberam: a "reencarnação" de Emmanuel é uma farsa. Mais uma das bobagens a serem vendidas como "dogmas" por esta seita doida que se pretende ser a "versão brasileira" do Espiritismo.

Até piadas tem aparecido para tentar ridicularizar esta tese nunca provada. Falaram que Emmanuel seria neto de algum político corrupto, como Paulo Maluf, já que o suposto fato se daria em São Paulo. A reencarnação no Brasil seria bem conveniente, para que os planos malignos de dominação mundial do eterno Manuel da Nóbrega pudesse servir para cumprir a narcisista ânsia dos brasileiros que seguem essa versão distorcida da doutrina, confirmando a lendária profecia de Chico Xavier, capacho do velhaco espírito de padre.

Na verdade, esse papo que alegrou muito o rebanho que obedece cegamente as alucinações do "cego" Chico Xavier (um cego que guiava cegos, rumo a ribanceira intelectual) foi criado pela FEB para que não aparecesse novos livros com a assinatura do padre obsessor, galinha dos ovos de ouro da FEB, cujos livros geravam renda para a bela ação de caridade que garantia o caviar, as mansões e os carrões dos líderes de uma federação que vive desmentindo na prática o que defende na teoria.

Com muitos pseudo-médiuns ansiosos para lançar livros e ganhar dinheiro às custas da credulidade alheia, a FEB teria que criar um freio para que a grife "Emmanuel" não pudesse servir de fonte de renda destinada a contas bancárias que não pertençam à instituição.

De fato, Emmanuel já reencarnou. Muito antes do que qualquer um pudesse imaginar. E não voltou como missionário e sim como um tolo a pagar pela arrogância e pela deturpação. Quem engana os outros ao mesmo tempo que domina de forma autoritária, merece responder pelos seus atos, pois contraiu, através da energia, uma dívida que tem que ser paga com exatidão.

Até porque não precisamos de um padre enxerido a nos dizer o que fazer. Desenvolvendo o intelecto, temos condições de evoluir este mundo sem a necessidade desse pueril conto de fada que se caracteriza as profecias de um católico ingênuo, metido a "líder máximo do Espiritismo brasileiro", manipulado voluntariamente por um padre retrógrado e autoritário.

sábado, 18 de outubro de 2014

Chico Xavier quis "matar" os escandinavos?

As previsões de um estranho sonho de Chico Xavier estão vindo a tona por causa de um documentário baseado em um livro, este baseado numa conversa informal que revelou tal sonho.

Segundo Xavier, numa profecia que vai contra tudo aquilo que está na codificação, sobretudo o que foi publicado no livro A Gênese, de Allan Kardec, diz que uma série da fenômenos naturais desastrosos irão preparar o planeta para que supostamente apenas o hemisfério sul, sobretudo o Brasil, pudesse permanecer intacto, para que - preparem os risos - as lições do Evangelho católico pudessem ser espalhadas pelo mundo, criando um ambiente religioso de amor e paz.

As mesmas profecias afirmam - essa é para chorar - que o hemisfério norte será todo destruído porque o seu "ateísmo" prejudicaria os planos de "evolução terrestre" guiado pela expansão do Cristianismo. Apenas os habitantes mais "compromissados com o Evangelho" seriam poupados, com oportunidades criadas para se deslocarem para o Brasil, que seria potência mundial e líder do planeta.

É uma teoria delirante e bastante ufanista. Um festival de incoerências que NUNCA deve ser considerado como parte da Doutrina Espírita. E essa verdadeira coletânea de bobagens incluiu algumas atrocidades cruéis que desmentem a fama de bondade do ingênuo médium tratado desde o tal episódio como "profeta".

Escandinávia, verdadeira sociedade mais evoluída do planeta

Repararam que a tal profecia fala em destruição do hemisfério norte? Repararam que nesta parte do planeta é que se encontram as nações cuja população é mais evoluída, sobretudo a do norte europeu, conhecido como Escandinávia?

A Escandinávia, limite territorial formado pelos países Noruega, Finlândia, Dinamarca, Suécia, Islândia e algumas pequenas ilhas, é mundialmente conhecido como a parte mais evoluída do planeta. Altamente intelectualizados como ninguém, os escandinavos, longevos habitantes do planeta, tem qualidades que justificam a sua posição de povo mais desenvolvido intelectual e moralmente.

Seu senso de justiça, senão perfeito, é muito alto. Conseguem resolver problemas graves, sobretudo climáticos. Sua economia é equilibrada e há justa distribuição de renda. Sua educação é das melhores e os alunos saem com emprego garantido, além de ter um senso responsável de cidadania que não se vê na maioria das nações. Sua cultura é elevada. 

Para se ter uma ideia, uma "bobagem" como o ABBA, grupo mundialmente mais famoso da região, fazia um som elaborado e com letras bem feitas, levando em conta que os compositores mal sabiam falar inglês. Se uma banalidade musical como o ABBA é tão caprichada em suas criações, imagine como deve ser a música intelectualizada produzida na região, como o Sigur Rós, por exemplo.

Evoluir eliminando os evoluídos? Sei não...

E o que esse tal de Xavier pensa que está fazendo? Trocar os seculares escandinavos, experientes e altamente sensatos por uma horda de descendentes de deserdados que nunca consegue resolver probleminhas banais? Um povo que não consegue se liderar, irá liderar a humanidade?

Se é para evoluir o planeta, porque eliminar o povo mais evoluído e entregar a liderança mundial a um povo bocó que só sabe empinar o traseiro, encher a cara de cerveja e achar que futebol traz qualidade de vida? 

Se Xavier assumisse que o planeta NÃO IRIA EVOLUIR, talvez seja compreensível, eliminar os melhores para irem a planetas superiores e deixar os tolos por aqui ainda pagando pelos erros típicos de um planeta atrasado como o nosso. Mas não: Xavier garantia que a previsão dele tinha o objetivo de evoluir o planeta. Bom, "evoluir" segundo o conceito de evolução dos católicos que acreditam em reencarnação, que se auto-rotulam como "espíritas" brasileiros.

Aprendamos com os seculares escandinavos

Essa teoria é uma ofensiva ilusão e que não vai acontecer cataclismo nenhum. Fiquem tranquilos os escandinavos. Eles continuarão entre nós, servindo de exemplo de sociedade justa, sábia e que sabe resolver seus problemas. Uma exemplar tradição aprendida de forma muito dura, através de muito sofrimento e esforço, através de muitos séculos.

Quanto aos brasileiros, integrantes de um povo jovem com apenas 514 aninhos de idade (um bebezão!), ficaremos na mesma, como capacho do mundo. Isso enquanto continuarmos na teimosia de defender valores duvidosos e priorizar formas de diversão e de crença que não levam a lugar nenhum. Liderar o mundo não é a nossa meta e estamos bem imaturos para liderar a nossa própria população, o que dirá com os outros.

Aprendamos com os escandinavos. Religiões são mitologias, entretêm, mas nos prendem em ilusões, como a fantasiosa profecia do pseudossábio Chico Xavier, um católico devoto. Talvez o experiente ateísmo altruísta dos escandinavos tenha muita coisa a nos ensinar em matéria de justiça, amor, educação e qualidade de vida. 

Abandonemos a arrogância chiquista. Não temos condições de liderar o mundo mesmo, fazer o quê?

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Transformação planetária? Que transformação planetária?

A FEB, na sua enésima tentativa de chamar a atenção ou num ato de desespero pela perda de fiéis a acreditar nas bobagens difundidas pelos seus "mestres", resolveu lançar uma contra-reforma para combater a intensa campanha de retornos as bases kardecianas, estimuladas por vários fóruns espíritas em redes socais.

Com base nas delirantes profecias que escolheriam a primeira metade do século XXI como era de transformação planetária e humanitária (andaram vendo muito Jetsons?), a FEB resolveu lançar um filme, Data Limite e lançar mão de muitos textos que falam de uma suposta mudança nas características da humanidade, usando a tecnologia e as variações climáticas como desculpa esfarrapada e "prova" superficial. 

Muita gente tem acreditado que entramos em uma época de mudanças, mas não consigo ver alguma mudança real. Confesso que um dos motivos de minha saída da "seita dos médiuns" foi justamente por não ver sequer uma só comprovação dessa tese de "Transformação Planetária".

Só se eles acham que se evoluir é se transformar em espantalho, com inteligência e sensibilidade atrofiadas. O comportamento das pessoas a cada dia tem provado que estamos cada vez mais burros e insensíveis. Não conseguimos resolver os mínimos problemas cotidianos e passamos a ter medo de autoridades, que abusam de suas posições privilegiadas para decidirem fazer o que quiserem. 

Nossa cultura é cada vez mais alienada e malfeita. Não vemos mais o cinema europeu de grandes mestres como Buñuel, Goddard e Kurosawa. A TV paga parece TV aberta. A música atual e a feita de 20 anos para cá não possuem a força criativa das obras primas dos anos 60. E para piorar, pegamos o hábito de achar que qualquer ídolo medíocre do passado é "gênio" só porque não comete os erros que a geração atual não cansa de cometer.

A violência e a corrupção não para de crescer e são praticadas por um número maior de pessoas. Gente comum passou a cometer erros graves que apenas aqueles que costumamos chamar de "bandidos" sempre foram capazes de cometer. 

A mídia cada vez mais proselitista, ditando normas de conduta e conceitos absurdos que são imediatamente absorvidos pelas mentes da população e transformadas em convicções. Vemos ídolos do entretenimento (incluindo esporte, sobretudo o futebol) substituindo intelectuais, com declarações inócuas e costumes banais sendo transformados e lições de vida.

A tecnologia tem se mostrado completamente incompetente na sua missão de transformar o planeta. equipamentos que pifam, serviços cancelados por "sistemas fora do ar", computadores lerdos por excesso de recursos, cartões que não são lidos, além de muitos outros problemas que "avançadas" máquinas nunca conseguem resolver.

Isso tudo, além do fato das redes sociais terem feito o contrário do que prometiam, afastando ainda mais as pessoas, que preferem ter uma relação a distância on line do que trocar o seu calor humano de maneira presencial.

Então que "transformação" é essa? Só se for para pior. A banda de música new wave Devo havia lançado uma tese bem humorada que dizia que a humanidade iria se regredir, na contramão da evolução tecnológica. E é o que está acontecendo. Perguntado sobre o assunto, o líder da banda e responsável pelas trilhas de inúmeros filmes e seriados, Mark Mothersbaugh lamentou dizendo algo parecido com isso: "Criamos essa teoria como uma brincadeira. Lamentamos que isso tenha chegado a esse caminho". Mark tem razão.

Estamos cada vez piores. mesmo as desculpas esfarrapadas que as coisas pioram para melhorar depois não convencem. As circunstâncias provam que a tese de "transformação planetária" lançada pelo "imaculado" Chico Xavier, é uma mentira. Xavier nunca leu A Gênese, de Kardec, livro que prova com todas as letras, sem enrolação que as previsões de Xavier são uma farsa.

Corre o risco muito grande da FEB afastar ainda mais os seus fiéis, com esta tese absurda e completamente comprovada como ridícula. Cada vez mais os espíritas redescobrem Allan Kardec, que revela de uma vez por todas que essas tolices que se apresentam como "Espiritismo" no Brasil são conversa pra boi dormir e que não tem feito nada para evoluir a sociedade como um todo, como comprova a ineficácia de seus atos durante a longuíssima existência de uma federação que se diz "espírita" defendendo tudo que o verdadeiro Espiritismo sempre condenou.

Para encerrar, lembramos que a Terra vai sim, se transformar. Mas isso acontecerá daqui a muitos milênios e sem data marcada. Por enquanto continuamos na mesma. Como há 100 anos atrás.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Paz amor, esperança e caridade não precisam de livros e de palestras

O pseudo-espiritismo, apesar de bajular a ciência, com a intenção de utilizá-la para legitimar verdadeiros absurdos doutrinários, prefere não ficar "perdendo tempo" com análises intelectuais e lança mão de muitas palestras, livros e workshops só para falar banalidades sobre paz, amor, esperança e caridade.

Ficam perdendo tempo falando textos longos para dizer coisas que poderiam ser ditas com maior clareza usando apenas uma só frase. Árduos trabalhos de pesquisa que poderiam alavancar a evolução espiritual da humanidade são cancelados ou adiados em prol de um moralismo piegas e inútil.

Pesquisem os temas de palestras em centros e vejam também cartazes de workshops. É muito barulho por nada. Gasta-se muito tempo e dinheiro falando de trivialidades que uma conversa informal seria suficiente. Será que é para dar uma aparência de ciência a algo que evidentemente não é científico?

Porque, sinceramente, paz, amor, esperança e caridade  não foram feitas para serem debatidas. foram feitas para se por em prática. Muitas vezes perdemos tempo discutindo sobre essas coisas e não as colocamos em práticas. Os pseudo-espíritas são especialistas em abandonar a paz quando suas asneiras são questionadas, apelando para a irritabilidade para defender suas crendices.

Muitas palestras em centros preferem ficar nisso, jogando fora uma oportunidade única de fazer uma transformação real nos corações e nas mentes das pessoas. Palestrantes simpáticos e com boa dicção que explanam por um longo tempo sobre ideias sem pé nem cabeça só para estimular uma pieguice que não resolve em nada, mas desperta o instinto sentimental de quem assiste.

Como falei nesta postagem, é uma perde de tempo. A melhor expressão para definir esta pseudo-moralidade piegas e ineficiente. Falar sobre amor e assuntos emocionais tem sido feito há muito tempo e sua ineficácia é mais do que comprovada. Essas palestras, livros e workshops nada tem feito para melhorar o mundo, se limitando apenas a um entretenimento fútil que só serve para fazer as pessoas se emocionarem. Após a linda choradeira, tudo volta como estava antes.

Muitas vezes falar muito sobre paz, amor, esperança e caridade são a melhor maneira de não colocá-las em prática. Já que a realização dessas coisa depende de muito esforço e abnegação, sobretudo de lindas ilusões.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Chico Xavier e os seus privilégios

Para os pseudo-espíritas, o médium católico Chico Xavier é considerado um semi-deus, dotado de privilégios que nenhum mortal é capaz de possuir. Biografias e mais biografias foram escritas com lendas e histórias forjadas que tentam embutir no ingênuo cidadão arrebatado pelos dissidentes católicos que administram a FEB, poderes e prerrogativas que o fazem quase divinal.

A intenção da FEB era construir o mito de um "santo vivo", aos moldes do Catolicismo, embora os pseudo-espíritas espalhem para todos os cantos que romperam com os dogmas católicos. 

Lembrando que a única biografia realista sobre Xavier é a que foi escrita por Marcel Souto Maior, que deu origem ao filme sobre o médium. Apesar de semi-iconoclasta, Souto Maior deve ter agradado a FEB, que o estimulou a escrever uma biografia estranha sobre Allan Kardec, onde ele, um cientista sério, foi transformado em líder religioso, tão igrejista quanto um frade.

Tirando esta biografia de Souto Maior, as outras tentam construir, através de lendas e de relatos de sonhos (que para os pseudo-espíritas, são todos avisos divinos), uma imagem divina do médium, em que é embutida algumas características divinais a ele, que de fato tinha traços inadequados ao de um espírito superior, sendo no máximo um homem gentil e respeitoso.

Super Chico, o "super-herói" dos pobres

Segundo algumas estórias contadas no meio, umas presentes em biografias forjadas, Xavier tinha superpoderes. Segundo quem defende esta tese, isso foi possível por causa da suposta missão do médium de "transformar o planeta"(sic), exigindo que ele tivesse uma capacidade sobre-humana que pudesse "ajudar a humanidade". 

Um parente meu, pseudo-espírita de centro, foi assistir a uma palestra (leia-se missa "espírita") e voltou para casa feliz da vida após ter ouvido que Xavier flutuou sobre as águas para salvar alguém. 

Também há relatos de levitações e de dupla visão relacionadas ao médium. Acredito que ainda haja mais estórias e mais superpoderes. Os devotos de "São" Chico se empenham ao máximo para tentar transformar o médium ingênuo em alguém mais do que superior.

Único encarnado em reunião espiritual

No relato do sonho que deu origem ao livro Não será em 2019 e ao filme Data Limite, Xavier foi o único encarnado que participou da suposta reunião "convocada" por "Jesus" e os "espíritos administradores do Sistema Solar", para "decidir os rumos do Planeta Terra", após a aflição gerada pela ocorrência da ida do homem a Lua. Como se essa ida fosse algo nocivo para a humanidade.

Há relatos também que colocam Xavier em viagens espirituais privilegiadas, que supostamente seriam para ver como estava o andamento evolutivo da humanidade. Mais uma vez esses episódios são construídos para tentar viabilizar a tese absurda da divinização do médium mineiro.

Nesta suposta reunião, Xavier foi alçado a profeta da humanidade e o conteúdo dessa suposta reunião transformado em tratado de evolução do Planeta Terra, algo que na prática não existe e só serve para promover Xavier, a FEB, seus dogmas e sua mitologia, gerando mais dinheiro para e entidade. Dinheiro supostamente destinado a uma caridade que na prática não existe.

OVNIs no hospital

Quando Xavier estava internado no hospital, pouco antes de morrer, foi filmada a chegada de dois OVNIs na janela do hospital, supostamente representando a mãe e o obsessor do médium, Emmanuel, considerado pelos crédulos como "anjo da guarda" e "mentor" do médium. Nada mais igrejista que isso, pois mães (vide Nossa Senhora) e anjos são instituições do Catolicismo, verdadeira fé do médium, dos que fundaram a FEB e dos que administram a federação.

Não se sabe realmente o que foram de fato esses OVNIs. mas há suspeitas de que seja na verdade uma montagem em vídeo para mais uma vez embutir superpoderes e privilégios a Xavier, o semideus dessa pataquada toda. É fácil forjar vídeos de OVNIs, além de que a FEB já foi envolvida em muitos escândalos de fraudes, na tentativa de "confirmar" os absurdos que difunde.

Aspirador de pó divino

Não me lembro aonde nem quando, ouvi em uma conversa entre pseudo-espíritas que Xavier, quando faleceu, foi recebido com uma gigantesca festa (interessante como no pseudo-espiritismo da FEB, os espíritos fazem festa por qualquer coisa - coerentemente com a tara tipicamente brasileira por festividades), organizada pelos muitos que supostamente foram ajudados por ele. 

Após cumprimentar a todos, escuta uma voz estrondosa o chamando para encerrar suas reencarnações (lembre-se que para os pseudo-espíritas, Xavier era "de evolução máxima") e ele é sugado literalmente para um plano acima, para "trabalhar com Jesus", com "toda a evolução espiritual integralmente concluída". (sic, sic e mais sic), se instalando definitivamente no "plano das divindades". Parece mistura de contos de fada com lenda mitológica, o que significa absurdo.

Isenção de responsabilidade

Xavier ainda tem outra prerrogativa: de ser isento de qualquer erro cometido. Seja por boa fé ou má fé, Xavier apoiou muitas fraudes e deturpações, mudou muito de opinião para favorecer circunstâncias e ficava do lado de farsantes para não criar problemas. 

Mas Xavier, por ter traços de ingenuidade quase infantil (infantil? O suposto líder máximo da doutrina, no Brasil?), é frequentemente perdoado de seus erros, como se fosse induzido a fazê-lo sem saber. É a única pessoa cujos erros tem que se obrigatoriamente assumidos por terceiros, se isentando de qualquer culpa. 

E isso é uma contradição, visto que Xavier é tido como líder poderoso. Como um líder poderoso pode ser ingênuo? E se ele não era ingênuo, como um líder poderoso poderia apoiar erros e deturpações? Como religiões permitem contradições sob a desculpa esfarrapada de "mistério de fé" fica tudo como está e Xavier goza de sua impunidade privilegiada.

Todas essas manobras fazem de Xavier um ser imune e impune, um semideus tupiniquim a enganar mentes ingenuas, carentes por alguém a lhes fazer papel de "herói", já que á natural para nós entregarmos a obrigação de resolver nossos problemas a divindades risíveis que, justamente por serem irreais, nada fizeram, nada fazem e nada farão por nós. 

E Ave Chico, o ludibriador de mentes insanas!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Porque a FEB insiste com mentiras?

As religiões no fundo são uma forma de poder. Pessoas fundam seitas para que possam usá-las para exercer influência e explorar súditos, os fiéis, que através do medo e da submissão, acabam por satisfazer os interesses de líderes religiosos, que atuam em nome de divindades inventadas por eles e que lhes garante a permanência desse poder.

As religiões nascem dessa forma e a grande divergência ideológica que existe entre elas é uma prova de que são todas falsas e dominadoras, um meio fácil de exploração aceita de forma alegre pelos fiéis que acreditam estar agradando alguém que lhes é responsável pela própria vida.

A crença e a submissão a divindades é instintiva. Ter uma crença, do contrário que muitas pessoas pensam, é sinal de atraso intelectual e espiritual e remete aos primórdios da vida humana. lembra muito a necessidade que crianças tem de ter um tutor. Nos conforta acreditar que temos um tutor. Mesmo que a existência desse tutor não seja confirmada.

Hoje acreditamos em divindades, por boa fé (ingenuidade). mas nem sempre foi assim. Toda religião, no início, tem que forjar aspectos que possam servir de "prova" para que ideias mais absurdas ganhem respaldo e depois aceitação e consagração.  Ah, e importante: desestimular ao máximo o intelecto, transformando a fé em qualidade máxima do caráter humano. 

Se as religiões estimularem o raciocínio, os dogmas que garantem poder aos seus líderes poderão ruir, já que o raciocínio tem meios para desmentir qualquer absurdo.

"Espiritismo" brasileiro: uma igreja igual as outras

Por isso é de se estranhar que o que os brasileiros conhecem como "Espiritismo" aja da mesma forma que as outras religiões, embora seja uma das poucas que dê a oportunidade a ciência. Claro que sendo uma igreja como todas as outras, o "Espiritismo" brasileiro não poderia dar espaço pleno à ciência, senão iria acontecer a mesma coisa. Para preservar os dogmas, a ciência é apenas bajulada e utilizada como forma de confirmação dos absurdos e não para desmenti-los.

Para isso, a FEB, numa atitude similar ao Catolicismo medieval que o influencia, passou a forjar atos, fatos e aspectos que servem para consagrar os absurdos que transformaram a doutrina neste festival de bobagens que está aí. 

Interessante que uma instituição que se pretende honesta, responsável e compromissada com a ética e a moral lance mão de fraudes, mentiras e muito proselitismo para manter seus interesses nada nobres.

O "Espiritismo" brasileiro tem desviado muito da proposta original estabelecida por Allan Kardec, que para a FEB, seus ídolos e seus seguidores não passa de mero carimbo a autenticar as bobagens inventadas por médiuns irresponsáveis a serviço de espíritos enganadores e materialistas. 

E o que deixa os espíritas sérios, fiéis a Kardec, mais espantados é que até agora nenhum dos mestres desse "Espiritismo" doido se manifestou em corrigir os erros difundidos, preferindo levar a mitologia adiante, tendo que apelar gradualmente para a desonestidade para preservar esses dogmas e mitos.

Moral e ética, aonde?

Isso é terrível se lembrarmos do suposto caráter moralizante do "Espiritismo" praticado no Brasil. Mostra até que ponto lideranças religiosas podem atingir para manter seus interesses de dominação em pé. É muita cara de pau dos líderes da FEB forjar psicografias, psicofonias e psicopictografias para gerar mais poder e dinheiro para seus líderes, enganado a todos dizendo que é para a "caridade". Uma caridade cuja transformação social nunca é vista. prova de que ela não foi realmente ou adequadamente feita. Irresponsabilidade dos que falam em nome de "doutrina da caridade".

Enquanto isso, lideranças "espíritas" surgem visivelmente mais ricas, com vida confortável em bairros nobres enquanto os seus pobres assistidos são mantidos nas mesmas condições, recebendo apenas, alimento, bugigangas e esmolas, que ao invés de garantirem qualidade de vida, servem para manter a dependência  de seus supostos benfeitores que aproveitam para lhes embutir ideias e crenças absurdas sob o pretexto de que estão "educando" para a vida.

E este texto que publico aqui não vai mudar nada, embora seja útil alguém dar este alerta. Os "mestres" da FEB e de centros afiliados não irão largar o valioso osso, os fiéis incautos, totalmente dominados pela fé cega em seus ídolos e líderes irão defendê-los até o fim, de forma enérgica. 

Mas estamos aqui para tentar devolver o Espiritismo nas condições que Kardec havia estipulado. Confundir deturpação com "atualização" tem sido cacoete desses falsos profetas do "Espiritismo" que abrem mão da tão alardeada ética para manter a doutrina no esgoto, preservando seus privilégios que imobilizam a sociedade como um todo. 

Imobilização que satisfaz não somente o interesse dos líderes da FEB, mas todas as lideranças de todos os tipos, incluindo políticos, empresários e celebridades que falando ou não em nome da doutrina, se beneficiam com uma sociedade cada vez mais crédula e emburrecida, mantendo todo o sistema social com os erros que estão aí.

domingo, 5 de outubro de 2014

Data Limite: Sem limites para bobagens no "Espiritismo" brasileiro

O que os brasileiros conhecem como "Espiritismo" sempre teve o objetivo de priorizar o aspecto religioso. Mas religioso não no sentido da moralidade como colocou Kardec, mas no sentido de seita, igreja, crença em absurdos. 

A FEB, preocupada em não romper com os atributos católicos da crença original de seus membros fundadores, sempre arrumou um jeito de misturar conceitos para que as noções de espiritualidade sejam colocadas sem prejuízo das crenças católicas que não podem ser rompidas.

Mas é sempre legal para a mesma FEB, para seus "mestres" e para os seguidores, colocar uma pitadinha de ciência. Não para exercer a lógica e o bom senso, mas para embutir o atributo de "verdade" as crenças sem pé nem cabeça que o "Espiritismo" brasileiro insiste em defender e divulgar.

A FEB nunca abriu mão de fraudes, de fabricação de mitos e lendas e de todo o tipo de embuste para manter intacto todo o repertório de absurdos que transformou o Espiritismo em uma seita igualzinha as outras, onde uma realidade fictícia é construída para que a sua crença nessa "realidade" signifique salvação e conforto para uma multidão de tolos carentes.

E agora a sempre insistente FEB, que pegou gosto pelos filmes neo-bíblicos (sim, como havíamos falado em outras oportunidades, o "Espiritismo" brasileiro segue muito mais a Bíblia do que os livros sensatos da codificação kardeciana), lança outro caça-niqueis (é pra caridade? nãããooo! - se fosse, não iriam gastar rios de dinheiro para não receber de volta multiplicado) para enganar os incautos e os incultos.

Data Limite é um documentário baseado no livro Não será em 2012, onde mostra uma conversa que o médium-estrela Chico Xavier (mais popular que Jesus Cristo entre os pseudo-espíritas) teve com o amigo Geraldo Lemos dizendo que - se preparem para dar uma boa risada, pois a piada é bem risível - foi a uma "importante" reunião, em 1969, supostamente convocada por "Jesus" (o tenista sueco da Bíblia, não o Jesus Histórico que vem sendo estudado seriamente por vários ramos da ciência), junto com o padre chato "Da Nóbrega" (que se travestiu de "Emmanuel, o Ermano Manuel das cruzadas") e supostos anjos (???!!!) "administradores" do Sistema Solar que (mais risada) estavam "preocupados" com a ida ao homem à lua (como se isso fosse nocivo à humanidade), "prevendo" que isso iria resultar numa "Terceira Guerra Mundial". Aí caio do sofá para soltar gargalhadas bem histéricas. Ha! Ha! Ha!

Neste conto de fadas contado pelo ingênuo médium, haveria uma intensa transformação do planeta no ano de 2019 e que o Brasil, essa naçãozinha ridícula onde 90% dos habitantes são ignorantes e que nunca conseguem resolver seus próprios problemas mais simples (enquanto países como Islândia e Japão conseguem inclui enfrentar fenômenos naturais terríveis), iria conduzir a liderança dessa transformações. Como é que não apareceu um sábio para contratar Chico Xavier para um stand up comedy? O cara tem imaginação e talento para contar verdadeiras piadas! Como o Brasil vai liderar o mundo se não sabe liderar nem, a si mesmo?

Não li o livro que inspirou o filme, mas li inúmeras resenhas a respeito dele. A tese proposta por Xavier é cheia de contradições e tem o incômodo de ser igrejista, nacionalista e de "viajar" muito na imaginação, soltando teses que nada tem de científicas, sendo puramente resultados da fé cega do cego Xavier, embora se apoie nos esterótipos científicos para se manter como "verdade absoluta".

Vejam só, Xavier, um caipira católico que andava vendo coisas e falando com o ar, foi "sequestrado" por falsos espíritas brasileiros e transformado em "líder", "guru", e agora "profeta" e até "cientista". Tudo sem entender bulhufas de Espiritismo. É como se um mecânico de borracharia sem conhecimento espacial fosse chamado para construir sozinho um gigantesco foguete para Plutão (que é longe pacas). Xavier foi esse "mecânico", em relação à doutrina.

E esse mesmo Xavier que agora, alçado na condição de "profeta moderno" vem "alertar" com data marcada (algo que vai contra a Doutrina Espírita e ao bom senso), ou melhor, Data Limite, de acordo com o título do filme, uma transformação planetária que não está acontecendo, não está sendo percebida e muito menos há indícios de acontecer. Se acontecer, só se transformar para pior, pois noto que as coisas só estão piorando e a tecnologia (usada como justificativa para as transformações planetárias) tem se demonstrada totalmente incompetente nas soluções para os problemas cotidianos, além de estimular uma inércia no desenvolvimento intelectual e afetivo dos seres humanos.

A tese de Xavier, é na verdade um delírio como muitos outros que o famoso médium teve. Ingênuo cidadão, ele nunca teve condições de ser um líder de alguma coisa, apoiando fraudes, escrevendo livros cheios de erros absurdos, defendendo contradições e contestando Kardec, aquele que muitos consideram ser ele próprio, numa tese ainda mais absurda e até ofensiva a Kardec. A propósito, as profecias de Xavier chegam a contradizer vários pontos citados no livro A Gênese, o que prova que o médium mineiro está totalmente equivocado em suas previsões oníricas.

Certamente este filme vai dar muito dinheiro a FEB e consagrar ainda mais o mito da soberania de Chico Xavier, um falso profeta que deslumbra tantos e tantos incautos. Mas para melhorar o planeta, este filme é totalmente inócuo, evidentemente inútil, não passando de um mero conto de fadas a entreter ingênuos que pagarão à FEB para que suas lideranças tenham, cada vez mais, dinheiro e poder às custas de uma doutrina que não foi criada para alimentar seus bicos.

Transformação planetária... Humpf! Onde? Tenham paciência!!! Que venham às próximas piadas!

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Todo o trabalho jogado no lixo

Hoje se celebra o nascimento do grande descobridor da doutrina dos espíritos, Hippolyte Léon Denizard Rivail, que adotou o pseudônimo de Allan Kardec para não prejudicar seus trabalhos em outras áreas da ciência, sobretudo a pedagogia (sim, ele era um importante pedagogo, e famoso em seu meio profissional na época!). Enfim um cientista que quis estudar tudo aquilo que não era conhecido como matéria.

Mas celebramos de forma bem triste, pois Kardec se tornou o grande desconhecido. No mundo em geral, pouquíssimos ouviram falar dele. No Brasil, seu nome é conhecido, mas o seu trabalho não. Inclusive, Kardec virou personagem de ficção, pois estranhos interesses o transformaram em um líder religioso, algo bastante oposto a toda a convicção lógica daquele que foi definido como o bom senso encarnado, pelo seu maior discípulo, José Herculano Pires. O Kardec conhecido dos brasileiros é 100% diferente do Kardec real que viveu na França. Só iguala no nome e na aparência.

Podemos dizer que para a maioria considerável de brasileiros, o trabalho de Allan Kardec foi literalmente jogado no lixo. Não foi preciso nem queimar os livros da codificação. Os católicos enrustidos que acreditam em reencarnação fizeram pior: deturparam todas as suas ideias, mudaram traços de personalidade do codificador, atribuíram responsabilidade por dogmas que ele mesmo provo serem absurdos e até mesmo criaram textos ficcionais, "assinados" por ele, de conteúdo totalmente igrejista, como se tivesse sido escrito por um padre.

A alucinada tese da reencarnação no Brasil

Para piorar ainda mais um bando de engraçadinhos cismou de apostar qual seria a "reencarnação" de Kardec, que supostamente seria acontecida no Brasil, para satisfazer os egos alucinados dos fiéis brasileiros. Inventaram até que o tolo Chico Xavier, que lançou livros negando todo a ideologia de Kardec, era o próprio que retornou, uma tese comprovadamente absurda que infelizmente é aceita pela maioria dos devotos do médium louco-varrido. 

Outro maluco, menos famoso, Osvaldo Polidoro, ainda mais alucinado, afirmou que ele meso era o Kardec que voltou. O demente já faleceu e certamente deve ter reencarnado. Deve estar perambulando por aí, se recuperando de suas loucuras.

Se Kardec reencarnou, certamente foi em outro planeta, muito mais evoluído que o nosso. Uma mente avançada como a dele não iria suportar tantas atrocidades absurdas que transformaram para pior o nosso cotidiano. A reencarnação do codificador na Terra está descartada e isso é assunto fechado. O que ele teve que fazer aqui, ele fez. Façamos a nossa parte: seguindo suas ideias, ao invés de bajulá-lo.

Um trabalho brilhante desperdiçado em prol da criação de uma igreja

Sabemos que o trabalho de Kardec foi muito duro. Ele viajou muito e pagou com o próprio dinheiro as viagens que foram muito úteis no processo de pesquisa. Lutou contra aqueles que o caluniavam, sobretudo Jean Baptiste Roustaing, cuja ideologia seduziu muito os pseudo-espíritas brasileiros, mas por ser polêmico demais, teve que ser eliminado da historiografia espírita brasileira, mas não sem antes a versão deturpada absorver alguns pontos , aceitos até hoje, para infelicidade de quem se considera fiel ao trabalho de Allan Kardec.

Aqui neste blogue, temos atuado com muito esforço e reconhecimento inversamente proporcional às nossas dificuldades, na tentativa de devolver o Espiritismo a sua condição original. É um trabalho hercúleo, pois a versão deturpada, igrejista e cheia de erros, está nas mãos de muita gente consagrada, de prestígio conquistado e apoiada por uma instituição considerada respeitável, a FEB, que não consegue honrar o seu prestígio favorecendo fraudes e difundindo falsos conceitos na tentativa de manter o seus interesses coerentes com a sua origem católica (a FEB é na verdade uma dissidência católica que "acredita" em reencarnação e na comunicação com os mortos).

A nossa missão de continuar o trabalho kardeciano

Vamos continuar criticando esta forma deturpada e não vamos ceder em algum minuto que for. Sabemos que o que a FEB defende não é o kardecismo (embora ela use esse nome ad nauseam, para autenticar suas fraudes e farsas) e sim a velha igreja católica medieval, misturada com vida pós morte e totalmente enfatizada na visão piegas d o amor, da paz e da caridade.

Grande Kardec! Pode contar conosco! Continuaremos o trabalho iniciado pelo codificador. Precisamos valorizar o árduo trabalho desse verdadeiro cientista que não teve o reconhecimento merecido. Kardec nada tem a ver com toda essa bobagem que se assume como "Espiritismo" e certamente iria se revoltar cada vez mais contra os muitos absurdos que a FEB e seus médiuns-estrela vivem difundindo em larga escala, utilizando indevidamente o nome do codificador.

Kardec, onde quer que esteja, receba nossos parabéns. O presente que você mais quer, com absoluta certeza, é que o Espiritismo retorne as suas características originais. A desculpa esfarrapada de "abrasileiramento" nunca deve servir para justificar fraudes, ideias absurdas e um monte de bobagens que fizeram com que uma doutrina criada por um cientista perdesse seu atributo de ciência.

O codificador um dia disse que se fosse provado que o Espiritismo estava errado, ele iria preferir ficar com a ciência. Do jeito que está o Espiritismo brasileiro, certamente ele iria ter medo de se assumir "espírita", se recusando automaticamente a ser vinculado a esse festival de tolices que sabiamente Herculano chamava de Seita de Papalvos.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

O fortalecimento da Igreja Espírita

Tenho notado um enfraquecimento nos fóruns que pretendem retomar as análises do verdadeiro Espiritismo. Há uma diminuição na quantidade de membros e de postagens. Líderes como José Manoel Barbosa e Jorge Murta faleceram. Membros remanescentes ainda não se uniram para fortalecer o retorno a sensatez kardeciana. Além disso tudo, vários blogues estão inativos, há muito tempo sem postagens novas. Há algo de ruim na inatividade do Espiritismo anti-igrejista.

Enquanto isso, os igrejistas, devotos de Chico Xavier e que superestimam demais o citado médium, colocando-o acima de Kardec e até de Jesus, retomam seu fôlego e se fortalecem, já que contam com o apoio social, midiático e principalmente de uma instituição forte, a FEB, que de "espírita" só tem o nome, mas que pretende transformar a doutrina em uma espécie de Neocatolicismo enrustido que acredita em reencarnação. Tudo sem o cientificismo original proposto por Kardec e pelos espíritos que o auxiliaram. 

Até mesmo leigos e laicos apoiam esse "Espiritismo" pirata que tem fortalecido há muitos anos. Não adiantou haver alertas de personalidades como Torterolli, Gélio Lacerda, André Dumas e Herculano Pires. Essa verdadeira Tábua Ouija em forma de seita que se transformou o Espiritismo no Brasil ganha cada vez mais força, por meio da divulgação intensa feita em prol da deturpação que distorce os conceitos originais de Kardec.

Até trabalhos pseudo-científicos tem sido feitos para tentar legitimar esta forma picareta praticada no Brasil, dando um caráter de seriedade a algo que no fundo não passa de uma tolice. Uma seita de papalvos (imbecis), segundo Herculano Pires. 

Tratamentos espirituais, versão "espírita" das penitências católicas, tem atraído muita gente, que sem entender nada, acaba sendo seduzida pelo clima de pieguice mórbida que entorpece as almas de desesperados a procura de um "herói" a resolver os seus mais complexos problemas. O "Espiritismo" brasileiro aprende cada vez mais com os pentecostais que promessas vazias são uma excelente isca para atrair escravos a satisfazer a mesquinharia dos líderes religiosos. Aí vem o IBGE, que é obrigado a registrar a falsa informação de que o "Espiritismo" cresce muito no Brasil, enquanto os verdadeiros e fiéis seguidores de Kardec diminuem a cada dia.

Para reforçar ainda mais essa confusão toda, a Feb conta com um mito fortíssimo, um santo católico que até 2002 representava um a divindade viva, que é o médium católico Chico Xavier, símbolo máximo dessa papagaiada toda. Católico, do nascimento até a morte, sem entender nada de Espiritismo, Xavier preferiu importar os delírios católicos e colocar na versão brasileira da doutrina, ao invés de fazer o contrário, alavancando o Catolicismo com conceitos sobre vida pós-morte.

Xavier virou o grande imã a atrair essa horda de alienados que pensam que "Espiritismo" é essa festa inerte do amor-paz-esperança que colabora cada vez mais para que o mundo continue como está. Transformação da humanidade? Novos tempos? Onde, meu filho? Com um mundo cada vez pior, com pessoas que pensam e amam como espantalhos e onde os problemas se agravam cada vez mais?

Triste saber que essa Igreja "Espírita" cresce a cada dia, enganando cada vez mais as pessoas. Seguidores de Chico Xavier continuam com os mesmos defeitos, com a mesma inércia, talvez esperando que o falecido médium faça a transformação que os próprios seguidores se recusam a fazer. Vemos nos discípulos de Xavier muitos defeitos que eles se recusam a eliminar, o que prova a incompetência total do mito do "Grande Médium" em transformar a sociedade para melhor.

Vamos continuar com este blogue, para compensar a inércia de outros e estaremos em fóruns sérios, analisando aspectos do verdadeiro Espiritismo, longe de qualquer louvor alucinógeno e do endeusamento de personalidades. Há muito trabalho pela frente, árduo e dolorido, para que possamos colocar nas cabeças ocas desses papalvos que tudo aquilo que eles chamam de "Espiritismo", é uma farsa, criada aos moldes dos católicos e neopentecostais para seduzir as massas e garantir as gordas rendas das lideranças religiosas que como raposas se alimentam da ingenuidade de seu rebanho de ovelhas.

sábado, 20 de setembro de 2014

O que o "Espiritismo" brasileiro está fazendo em prol do progresso humano?


Originalmente, o Espiritismo se colocou na responsabilidade de alavancar a evolução da humanidade, estimulando o intelecto, o altruísmo e iniciativa de resolver e acabar com os problemas. Este seria o cenário perfeito para que a humanidade pudesse finalmente evoluir as suas almas.

Mas as deturpações da doutrina, feitas no Brasil, desviaram desse objetivo, embora o mesmo ainda apreça de maneira hipócrita em seus discursos. Há muito mais de ciência na verborragia alienada dos médiuns-estrelas do que o que é observado na prática. Queiram ou não queiram (citando o bordão de Baccelli, um dos líderes desse pseudo-espiritismo), o que se conhece no Brasil como "Espiritismo" não passa de um Catolicismo que acredita em reencarnação e que não põe roupa exótica em sacerdotes.

Assistencialismo ao invés da verdadeira caridade

E o que esse estranho "Espiritismo" em feito em prol da humanidade? Sinceramente não consigo observar uma transformação social que resulte dessa idolatria a "santíssima trindade" Bezerra-Chico-Divaldo. No máximo, aquele mesmo assistencialismo que se observa nos projetos do "Criança Esperança", aqueles que acham que "educar" é ensinar a dançar, a jogar futebol e a usar o computador para escrever besteiras em redes socais. O suposto altruísmo das instituições "espíritas" seguem a mesma (i)lógica dessas ONGs acomodativas.

Isso é suficiente? Claro que NÃO! Isso é caridade paliativa. Isso é consolo! É água com açúcar. É uma maneira de aprender a conviver com os prolemas que não se quer resolver. Resolver problemas é muito difícil e exige, além de muito esforço, romper com valores considerados positivos e desagradar lideranças prestigiadas. Como ninguém quer enfrentar esses desafios, mantém-se os problemas, apenas criando meios de os suportar com passiva tranquilidade.

Isso já é feito pelas outras religiões. O Espiritismo original havia se proposto a um diferencial, que foi totalmente descartado pelas lideranças brasileiras que falam em nome da doutrina. Legal é esse assistencialismo inerte, essa esmola gigante que serve muito mais para fixar laços de dependência entre ajudado e benfeitor, dando ao segundo a oportunidade de manipular ideologicamente  seus auxiliados.

Ou seja, essas instituições mantidas por órgãos da FEB querem este tipo de "caridade" porque ajuda a criar mais devotos de "São" Chico Xavier, espalhando parta a sociedade as mentiras que o ingênuo médium transformou em dogmas da suposta doutrina praticada no Brasil.

Cadê a transformação social?

Quanto a transformação social desse jovens auxiliados pelos supostos "espíritas", o que se vê são cidadãos iguais aos outros, preparados para a vida profissional, mas sem o desejo de transformar a sociedade, mudando as leis para que as coisas funcionem de maneira mais lógica e justa. Sabiam que nossa carga horária de trabalho é alta (mínimo de 40 horas semanais) e nosso salário básico é muito baixo (cerca de 700 reais)? Ensinam a mudar isso? Não! 

Os pseudo-espíritas estão entre os muitos líderes prestigiados que lucram com uma sociedade decadente e injusta. Eles sabem que melhora-la de fato significa tirá-los do poder que lhes garante privilégios. Transformar a sociedade numa montanha de súditos é muito bom, pois criam um exército de submissos a lhes satisfazer as vontades a hora que esses líderes quiserem.

Esqueçam a humildade utópica atribuída aos líderes "espíritas". Eles são tão corruptos e mentirosos quanto qualquer outro líder, sejam de outras religiões, sejam políticos, empresários e celebridades. Quem tem poder de influência usa a mentira como poderosa arma de persuasão e fingir resolver problemas que nunca são resolvidos lhes garante a perpetuação dos seus privilégios.

Resolver problemas é complicado. Melhor mesmo é suportá-los

Notaram que vivemos em uma sociedade exatamente igual a 100 anos atrás? Mudamos muito pouco, somente uma coisa e outra ali. No seu todo, o sistema sócio e econômico segue as mesmas regras de 100 anos atrás e entre essas superestimadas lideranças "espíritas" até agora não apareceu ninguém disposto a mudar isso tudo. 

É uma hipocrisia bem cafajeste falar em "transformação planetária" com tudo isso como está. Uma prova que as lideranças brasileiras que falam em nome do "Espiritismo" estão pouco ou nada interessadas nessa transformação, usando-a apenas para iludir as massas, fazendo as pensar que estamos mudando, que estamos resolvendo os problemas, quando na verdade os problemas só estão se acumulando, se tornando cada vez mais difíceis de resolver. 

E sabemos que quanto mais difíceis foram os problemas, mais a sociedade se recusará a resolvê-los, preferindo a doce aguinha com açúcar dadas pelas instituições filantrópicas, incapazes de melhorar a sociedade como um todo.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Pseudo-espíritas ignoram processo que lhes favoreceu

Os pseudo-espíritas brasileiros, que acreditam no Espiritismo como "religião" e não como uma ciência (embora lancem mão dessa ciência quando lhes convém), desprezam todo o procedimento que fez resultar nessa igreja espírita que insistem em seguir sem se informar melhor do que é ou não correto entre o que se apresenta diante deles.

Interessante isso. Soa como uma espécie de "ingratidão" a Roustaing, grande responsável por deixar o Espiritismo como está. Roustaing, católico da gema, sempre quis uma igreja espírita, que admitisse a reencarnação, mas sem romper de vez com dogmas católicos em que acreditava. O Roustaing que os brasileiros desconhecem mas seguem com louvor.

Apesar de bajulado com frequência, emprestando seu sobrenome para que os desavisados se auto-rotulem de "kardecistas", Kardec é ainda um grande desconhecido. Sua reputação, para os pseudo-espíritas, só serve para autenticar as bobagens e erros que Roustaing, os católicos da FEB, o superestimado Chico Xavier e seus seguidores inseriram na doutrina.

Os livros de Kardec no fundo não agradaram os pseudo-espíritas por serem bastante científicos. O que interessa dele é a sua reputação, emprestada aos líderes pseudo-espíritas. Acreditam os fiéis da igreja espírita que Kardec quis que tudo isso ficasse como está, o que é um grave erro e na minha opinião, um acinte ao codificador. Soa divertido para os pseudo-espíritas atribuir a responsabilidade dessa bagunça a Kardec, ignorando fatos que contribuíram para a deturpação que consagrou a versão brasileira da doutrina.

Para começar, no Brasil, a FEB foi fundada por dissidentes católicos que acreditavam em reencarnação. Eram sujeitos que gostavam dos dogmas católicos mas por acreditarem na vida pós morte e na comunicação com os mortos resolveram fundar uma nova igreja, mas usando aspectos do Espiritismo, além de seu nome.

Isso foi consagrado através do chamado Pacto Áureo, que rachou de maneira definitiva o movimento espírita, expulsando dele os que queriam ser fiéis a Kardec, sem colocar enxertos do Catolicismo. A FEB, continuou seguindo, ensinando errado o que é o Espiritismo, num confuso sincretismo que até hoje é saudado por seguidores e leigos como o "verdadeiro Espiritismo" dificultando a compreensão de aspectos mais sérios sobre o mundo espiritual.

Os fiéis dessa seita chamada "espírita" desconhecem Roustaing, Pacto Áureo, sem saber que esses e outros fatos contribuíram muito para que tudo permanecesse como está. Preferiram atribuir a Kardec, que nada tem a ver com isso tudo, a responsabilidade pela deturpação, como se o Espiritismo já surgisse bagunçado como vemos hoje.

Esquecem eles de todo o trabalho feito nos bastidores da Federação (que se diz) "Espírita" Brasileira, com distorções, criação de mitos e até a ocorrência de fraudes, tudo feito para que o Espiritismo original não chegasse ao conhecimento de seus seguidores sendo substituído por uma seita doida que tem muito mais de Catolicismo do que de qualquer coisa, trazendo muitos lucros financeiros para instituição, difundidos que são "para a caridade"*.

Os seguidores dessa igreja espírita deveriam agradecer muito a Roustaing e aos deturpadores da FEB, pois estes trabalharam muito para que a fé cega se instalasse em seus corações. Esqueçam Kardec. Não adianta cultuar um autor de obras valiosas que vocês nunca leem.

--------------------------------------------------
* Caridade? Em qual projeto? Cadê o resultado dessa "caridade"? Ah, mas caridade não se mostra, não é? Principalmente a caridade que nunca é feita! Afinal pra quê mostrar o que nunca é feito?