OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

IMPORTANTE: Este blogue não tem a pretensão de ser um site científico e nem de ser uma fonte para estudos. Apenas lançamos as questões e estimulamos o debate e a análise, servindo apenas para ponto de partida para estudos mais detalhados. Para quem quiser se aprofundar mais, recomendamos a literatura detalhada das obras de Allan Kardec - principalmente "O que é o Espiritismo" e visitar fóruns especializados, que não façam parte da Federação "Espírita" Brasileira.

Os textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e correspondem ao ponto de vista pessoal de seus responsáveis, sejam ou não resultado de estudos.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Com fracasso da "Data Limite", "Espiritismo" brasileiro apela para a Teologia do Sofrimento

Olham que interessante: com a proximidade da fatídica data prevista pelo "sábio ao extremo" Chico Xavier em seu sonho banal, de repente os "espíritas" não falam mais em "Data Limite", em profecias ou qualquer coisa do gênero. A tese da "Data Limite" sumiu feito fumaça e nenhum site chiquista fala no assunto.

Certamente porque perceberam na prática a inviabilidade de realização da suposta profecia, na verdade um delírio de um jovem seminarista católico admirador de Chico Xavier que espalhou a tese, estimulando muitos gastos inúteis de dinheiro e a produção de muitos documentários sem pé nem cabeça, que tem como única e secreta intenção de canonizar o beato de Pedro Leopoldo, ídolo máximo dos seguidores da que o Herculano sabiamente chamava de Seita dos Papalvos (papalvos = ingênuos).

Como perceberam que as profecias não irão se realizar - embora livros e documentários sobre o tal sonho que tenta usar a ciência para confirmar um mito meramente religioso ainda continuem à disposição dos papalvos interessados pelo assunto - além de não falar mais nelas, para não ferir a reputação de seu ídolo maior, mais que um semi-deus, resolveram mudar de tática.

Agora os "espíritas" focam na Teologia do Sofrimento, tese medieval que nem mesmo o Catolicismo atual aprova e que alega que o sofrimento é o único caminho para a prosperidade. É o "No Pain, No Gain" dos neoliberais meritocratas, uma tese que glamouriza o sadismo de lideranças e o masoquismo de liderados.

A medida deixa sub-entendido o apoio de "espíritas" ao golpe político de 2016, que tomará medidas contrárias ao que recomenda a doutrina originalmente codificada por Allan Kardec. Os "espíritas" brasileiros, que no fundo nunca seguiram Kardec (só o bajulam), nunca foram tao anti-Kardec como agora, apoiando uma teoria sadomasoquista que só trava a evolução espiritual, prendendo a humanidade no mais obscuro medievalismo.

Muitos textos e sites e palestras supostamente "espíritas" tem escancarado a adesão nociva à Teologia do Sofrimento, mostrando o grau intenso de irresponsabilidade de "espíritas" brasileiros com o progresso da humanidade.

Com a Teologia do Sofrimento, o "Espiritismo" causa a sua própria derrota, pois entra em choque com os tempos atuais que exigem mais racionalidade e altruísmo e portanto, a tentativa de eliminação do sofrimento e não o contrário.

A Teologia do Sofrimento foi trazida à doutrina e enxertada por Chico Xavier, fanático católico da linha medieval e entusiasta da tese e que foi estimulado a vandalizar a doutrina com um monte de crenças estranhas que acabaram por desmoralizá-la, fazendo caminhar para os eu fim próximo.

Até porque o bom senso diz que sofrimento é ruim e não presta. E porque prestaria?

Provas de que a humanidade não está evoluindo

No final da década passada, lideranças e adeptos desse "Espiritismo" estranho praticado no Brasil, que mais parece uma igreja alucinada, criaram uma empolgação sobre o que seria para eles "a transformação do planeta". Inspirados por seitas exóticas, os "espíritas" tentaram transformar verdadeiros delírios em "teses científicas", afirmando com convicção que a humanidade entraria numa inevitável transformação radical para melhor.

Tudo balela para fazer propaganda dos centros administrados ou sustentados pela FEB, grande responsável por distorcer a doutrina espírita, transformando numa seita de fé cega cheia de mentiras e contradições. Resultado de uma má interpretação sobre o que a doutrina original, desprezada pelos brasileiros, falava sobre a transformações humanitárias.

Kardec havia falado que a transição de uma fase para outra na evolução humanitária se daria de forma lenta e gradual e sem uma delimitação exata. Os brasileiros entenderam tudo errado e classificaram o "lenta e gradual" como apenas cerca de 2000 anos, achando que no "terceiro milênio" se daria a tal a transformação radical, com uma delimitação clara. Deram com os burros na água.

Os alucinados devotos de Chico Xavier deveriam pensar melhor e perceber que "leta e gradual" significa muito tempo. Muitíssimo tempo. 2000 anos é um segundo perto deste tempo. A humanidade ainda tem a barbárie e as ilusões materiais ainda bem fortes em seu caráter e seus costumes ainda dão sinais de que estamos ainda muito primitivos. 

Em 2000 anos desde que marcamos o calendário com o nascimento de um ser que ate agora não teve a sua existência confirmada, mudamos muito pouco. Vou listar algumas características que mostram que estamos muito longe de sair do estágio atual do planeta, ainda presos neste atraso primitivo. Ou seja, ainda somos animais aprendendo a ser humanos.

A regeneração vai acontecer. Mas só daqui a zilhões de anos. Muitíssimo tempo. Não há qualquer sinal, por melhor que seja, que indique que a evolução humanitária está para acontecer.

Portanto, esqueçam estas tolices de "Nova Era", "Regeneração", e similares. Ainda somos bastante primitivos, nos primórdios da humanidade. Duvida? Eis as provas:

- Priorizamos os instintos (incluindo a religiosidade, que é de fato um instinto) em detrimento da racionalidade;

- Ainda usamos armas e consumimos drogas de diversos tipos;

- Somos gananciosos e em nome da ganância somos capazes de matar e de derrubar governos para tirar honestos e colocar gananciosos para governar;

- Nossa cultura piora ainda mais, com preferência por obras e atividades cada vez menos intelectuais;

- Somos interesseiros na hora de fazer amizade e a nossa noção de altruísmo se limita a caridade paliativa;

- Desprezamos os verdadeiros sábios, intelectuais e cientistas. Colocamos celebridades e lideranças religiosas, sem nada a dizer no lugar;

- Ainda somos incapazes de resolver problemas mais simples e nunca nos unimos para resolver;

- Como crianças priorizamos o lazer em relação às coisas sérias e urgentes. Como exemplo desejar a vitória do Brasil no futebol quando em qualidade de vida o país só piora;

- Ainda somos submissos à mídia e às celebridades dominadoras que aparecem nos meios de comunicação;

- Ainda colocamos nos outros (políticos e lideranças) a responsabilidade de melhorar o nosso cotidiano;

- Brigamos por motivos banais e agimos como trogloditas em festas, berrando e fazendo grosserias;

- Nos prendemos a estereótipos para nos definirmos como inteligentes. Muitas pessoas ainda tratam a graduação acadêmica (nível superior) como "atestado de inteligência plena" quando na prática isto é impossível;

- Ainda não sabemos usar o nosso cérebro, preferindo acreditar do que raciocinar. Ainda odiamos análises e pesquisas, preferindo a convicção com base em boatos, crenças e teses irracionais.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Adesão de "espíritas" a Teologia do Sofrimento é tiro no pé

O que os brasileiros conhecem como "Espiritismo", que na prática nunca foi fiel as lições de Allan Kardec, este reduzido a uma espécie de "cartório" a autenticar os delirantes dogmas de sua versão brasileira, cada vez mais perde fiéis e a credibilidade. Aos poucos os espíritas de verdade vão percebendo que a versão brasileira nunca passou de um desfile de pieguice e teses absurdas e abandonam centros que seguem difundindo as suas tolices.

Mas pelo jeito os centros ditos "espíritas" estão dispostos a perder mais gente, pois textos mais recentes mostram a "nova" guinada da versão deturpada da doutrina: fazer apologia ao sofrimento. Visto que as previsões citadas pela pseudo-profecia "Data Limite" não vão se cumprir, as lideranças "espíritas" decidiram adotar outra postura, para supostamente preservar seus interesses.

A Teologia do Sofrimento nada tem a ver com a Doutrina Espírita original. Nem mesmo da versão deturpada do início da FEB ela fazia parte. Essa teologia, de que nem a Igreja Católica de hoje quer mais saber, foi trazida por Chico Xavier, católico fanático aos moldes medievais. Xavier nunca largou as suas convicções e com isso, preferiu transformar a doutrina em uma gororoba heterogênea misturando reencarnação e misticismo com o mais medieval Catolicismo.

As lideranças "espíritas" gostaram da teologia do Sofrimento, pois descobriram que estimular o medo lhes dava mais poder e prendia as pessoas em centros, além de servir de justificativa tosca para explicar porque a realidade continuava tão ruim e injusta.

É um absurdo, pois até o mais ignorante sabe que sofrimento é algo desagradável. Mas para piorar ainda mais a Teologia do Sofrimento, os "espíritas" inventaram um tipo de procrastinação para justificar o sofrimento, adiando sempre a felicidade para a reencarnação posterior, como se todas as encarnações fosse iguais, com mesmo corpo, mesmo lugar, amigos e situações. O sofrimento da encarnação atual seria uma espécie de "poupança" para a suposta felicidade na encarnação seguinte.

Mas como as pessoas percebem que o sofrimento é algo ruim e que de fato a felicidade deve ser a finalidade de qualquer ser humano, o "Espiritismo" brasileiro põe a sua própria cabeça na guilhotina ao aderir a Teologia do Sofrimento. Percebendo a cilada, muitos espíritas estão abandonando centros "espíritas" porque se encheram de ouvir coisas do tipo "felicidade é para amanhã", como alguém que não tolera pagamentos de forma fiada.

Ao se tornar entusiasta e difusor da teologia do Sofrimento, o "Espiritismo" brasileiro caminha para a sua inevitável extinção. Aos poucos vamos percebendo que de racional e científico, o "Espiritismo" tem nada, sendo na verdade um mercado de ilusões a nos manter gemendo de dores.

domingo, 5 de março de 2017

Direitismo "Espírita" e a negação da caridade kardeciana

Tanto o Espiritismo Original como o "Espiritismo" praticado no Brasil, de linha roustainguista, tem como base ideológica a caridade, mesmo a praticada de forma precária, como vemos nos centros e instituições ligadas à doutrina ou à sua versão deturpada. Se baseiam na famosa frase de Kardec: "fora da caridade não há salvação". Mas algo começa a ocorrer que contradiz de modo evidente, mesmo de forma discreta, esta frase.

Mesmo sem declarar, o "Espiritismo" e alguns espíritas verdadeiros espalhados pelas redes sociais assumiram claramente uma postura direitista, anti-caridosa e que no final acaba por legitimar a ganância e a exclusividade de privilégios. Interpretam mal o capítulo do Evangelho Segundo o Espiritismo, do mesmo Kardec, que fala das desigualdades das riquezas, tratando o que Kardec se referia como um problema, como se fosse algo normal e necessário.

É tradicional que direitistas não enxergam os seres humanos como uma mesma espécie. Gostam de dividir a sociedade com base em estereótipos e declara que a felicidade e o bem estar sejam exclusivos de classes definidas como supostamente merecedoras de tais privilégios. 

Classes que não correspondem aos bons estereótipos são descartadas, ou merecedoras de punições e penas de  morte ou na melhor das hipóteses, tratadas como bichinhos de estimação, como fazem muitas instituições de caridade baseadas não no altruísmo, mas no moralismo das seitas cristãs.

A crise capitalista que inevitavelmente aconteceria de qualquer forma, devido as características gananciosas do sistema, tem estimulado uma onda de egoísmo e proteção desesperada dos interesses particulares, que são alimentados através de boatos que reforçam os preconceitos sociais que infelizmente ainda não desapareceram na face da Terra. Cada um se trata de defender interesses próprios ou de classes simpatizadas, em detrimento daqueles que não correspondem às suas expectativas, fortalecendo ainda mais a ganância e o sadismo.

Este pensamento cruel que protege privilegiados e condena os menos favorecidos tem sido bem dominante nos meios religiosos. Curiosamente, estes meios utilizam a fama tradicional, mas equivocada, de bondosos apenas como escudo para se protegerem contra inevitáveis críticas, mesmo as mais sensatas. Religiosos não praticam caridade por amor e sim por interesses, por acharam que "fazendo o bem" ganharão as supostas "riquezas do céu". Se é que no céu existe riqueza.

A caridade mencionada por Kardec nada tem a ver com a caridade apoiada por direitistas, já praticada por ONGs e instituições de caridade. A verdadeira caridade elimina problemas, tira pobres da pobreza, doentes da doença e necessitados da necessidade. Elimina as condições desagradáveis do sofredor e os insere em um contexto de dignidade permanente. Trocando em miúdos, é tirar o sofredor do sofrimento ao invés de fazê-lo suportar a condição degradante, como tem sido feito.

O pensamento egoístico que cristãos tem demonstrado vai contra até o que pensava Jesus, pois ele mesmo não julgava, não fazia distinções, ajudando seja quem for e vendo naqueles que erram (incluindo bandidos e pessoas moralmente falhas) uma oportunidade de se redimir e recomeçar. Algo que nenhum dos cristãos de direita está disposto a fazer.

O direitismo religioso, presente também em espíritas e "espíritas" (Chico Xavier era assumidamente de direita, o que muitos se esquecem, e sua caridade era bem precária e ineficaz) entra em contradição séria com a doutrina originalmente codificada e representa que muitos supostamente segue a doutrina somente como capa para obter respeito e prestígio social e angariar os benefícios que resultam disso. 

Negam a doutrina que supostamente professam e agindo de forma sádica e gananciosa contra aqueles que não lhes assemelham, dão importante contribuição para que a humanidade permaneça no atraso e que a evolução terrestre seja cada vez mais adiada, continuando a favorecer os mesmas elites gananciosas favorecidas há séculos.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Coxinhas "Espíritas" não passarão!

O "Espiritismo" brasileiro sempre esteve do lado do poder. Com medo de ser proibido de exercer as suas atividades, sempre buscou nas alianças com autoridades uma proteção para que pudesse seguir em frente com a sua deturpação. 

Durante os governos petistas até tentou se aliar com Lula e Dilma (esta ganhou até uma cópia do surreal Brasil, Coração do Mundo, do beato de Pedro Leopoldo, Chico Xavier), mas ideologicamente os "espíritas" sempre estiveram do lado do conservadorismo, como comprova a sua trajetória.

Um jornal "espírita" de Niterói, na boa fé (ingenuidade) ou na má fé (pilantragem), afirmou que os protestos coxinhas eram a "comprovação" da entrada da "nova fase de regeneração do planeta", ignorando que as tais manifestações foram patrocinadas pelo PSDB, PMDB, DEM e empresas capitalistas. 

Isso, além do fato comprovado de que boa parte dos manifestantes eram de analfabetos políticos, gente que não conhece os bastidores da política e trata o assunto como se fosse uma novela das 21 horas, baseando se exclusivamente em informações geradas pelo Jornal nacional e pelas revistas e jornais expostos nas bancas.

Só agora os brasileiros entenderam que houve golpe

Infelizmente, o brasileiro só aprende após apanhar, como diz a tradição, e agora, os coxinhas se sentiram enganados pois trocaram um governo honesto, altruísta e competente, que eles consideravam "o mais corrupto de todos" só porque iria repartir renda ou seja: tirar o - excessivo - dinheiro das elites, para colocar um grupo de corruptos gananciosos que estavam "acima de qualquer suspeita" só porque trabalhavam em prol dos capitalistas, o que não é considerado "pecado" para os analfabetos políticos.

O resultado é que nem todos que apoiavam a derrubada dos governos petistas - que de fato beneficiavam a todos, inclusive a capitalistas, né coxinhas ingratos? -  vão se dar bem nos governos direitistas, ficando de fora da distribuição das fatias do bolo capitalista, que era bem menor do que os coxinhas pensavam.

Muitos dos projetos que Temer está pondo em prática - boa parte de autoria da equipe de Aécio Neves, o "incorruptível" - vai prejudicar muita gente que ganha menos que 50 mil por mês. Mesmo esta citada parcela de privilegiados deve se preocupar, pois não terá tantos privilégios quanto os homens mais ricos instalados no país. Enfim, o caos se instala no Brasil após o golpe.

Pesquisas sérias feitas por especialistas mostram que durante os governos petistas, o Brasil se encontrava em um relativo equilíbrio. Era um trabalho que exigia a permanência dos mesmos gestores no poder por mais tempo, pois os problemas brasileiros não são para serem resolvidos em apenas 4 anos. Muita gente ignora isto e pensa que a prorrogação do PT no poder seria uma "ditadura comunista", o que é de uma asneira infantil tão tola quanto acreditar em bicho papão ou no capeta.

Falta de conhecimento político favorece pré-julgamentos

Por não entender economia, política e administração pública - e os empresários acham bom que o povo continue não entendendo - foi fácil inventar mentiras sobre os governos petistas, para enfraquecê-los e derrubá-los, para que os verdadeiros corruptos - e esse não era o caso do PT, de fato o menos corrupto dos partidos - escapassem das punições se instalando em cargos políticos.

Esta falta de entendimento tem feito muita gente acreditar na mídia, na verdade porta voz dos empresários que administram os meios de comunicação e de seus patrocinadores - quem patrocina, exige retorno - nenhum deles representante da maioria da população. A TV, o rádio, os jornais e as revistas nunca falaram em nome do povo e nem irão falar.

Portanto os "espíritas" que estavam otimistas pela derrubada de um governo honesto, altruísta e competente, achando ingenuamente que os capitalistas viviam em prol dos mais necessitados, agora mostram a sua cara de tacho, desmascarando cada vez mais a Seita dos Papalvos.

Allan Kardec condenaria o golpe e apoiaria a esquerda

Esta seita pseudo-espírita que viveu e sobrevive de enganar almas ingênuas com teorias sem pé nem cabeça a jogar na lata de lixo as lições progressistas de Allan Kardec, que era socialista e com certeza teria reprovado o golpe de 2016 e estaria do lado dos petistas mais sensatos. 

Em que pese os erros de alguns membros do partido (sim, o PT tem corruptos, mas uns poucos), a sua maioria, incluindo Lula e Dilma, se esforçou e ainda se esforça por lutar em prol da dignidade em nosso país. Afinal são os representantes do povo trabalhador, o Partido dos Trabalhadores! E não os Partidos dos Magnatas que fingiam combater a corrupção, estimulando uma multidão de ingênuos mal-informados a sair nas ruas vestidos com a camisa da corrupta CBF.

"Espíritas" coxinhas, parem de falar besteira, de chamar vilão de herói e herói de vilão e se informem mais sobre os fatos antes de fazer qualquer julgamento injusto. Que coisa feia, "espíritas"! Jesus não havia dito que não se deve fazer falso testemunho, julgando os outros sem verificar?